Total de visualizações de página

Contatos

Meu Blog é apenas uma forma de exibição,de contato indireto, que as pessoas que me acompanham podem ter comigo,saber mais sobre mim,sobre meu dia a dia,ver fotos,ver videos.
Este blog esta ativo desde 2010 e tem muitos videos,fotos e histórias postadas, as mensagens enviadas nas minhas postagens serão lidas e analisadas, não publico mensagens com informações pessoas como Email e telefone, também não publico mensagens com conteúdo ofensivo, as mensagens são moderadas por mim no intuito de promover sempre o bem estar e a privacidade dos meus leitores.

Amigos do blog

terça-feira, 24 de junho de 2014

O poder feminino

O poder feminino


É interessante  a forma que o sexo “frágil” consegue transpor a força pela sedução, a maioria das Cross, quando ingressa nessa opção sexual, é justamente buscando esse tipo de poder que só a mulher tem, eu desde que parei de fazer pista, deixei um pouco de lado o meu lado feminino e passei a vivenciar mais o masculino, família, vida social, trabalho, tudo me lava a me afastar desse lado, que apesar de não ser mais uma novidade pra mim, ainda me seduz, até meus clientes passaram a se acostumar comigo na forma mais masculina, claro que  no quarto e sem roupa, meu corpo é o que é, então isso não me preocupa muito, porem aconteceram alguns fatos que me deixaram chateada, duas pessoas que passei a sair e tiveram um contato maior comigo, ao me ver de homem o tempo todo, passaram a me tratar como tal, foi uma sensação que eu não gostei muito, gosto de ser tratada como fêmea e também gosto de ser tratada como macho, mas pelo menos por aqueles que me comem eu quero ser tratada e enxergada como fêmea, independentemente da roupa que estou usando, mas não foi o que aconteceu, isso me fez sentir menos sexy, parecia que estava perdendo o encanto, de contra partida fatos que me afastaram das festas também contribuíram pra esse meu lado masculino ganhar mais força,  dos meu hábitos antigos eu continuei apenas com a depilação, mas parei de usar implante, pintar as unhas, descolorir pelos, não via lógica em fazer isso se não estava pronta pra sair, um homem num corpo de mulher, mas que vive como homem, é mais complicado viver do que falar sobre isso, mas devido a tudo que estava acontecendo, a mudança de tratamento, as roupas masculina em tempo integral, o cabelo curto, por que eu passei a não usar mais implante pra deixar o meu cabelo natural crescer e pra não ficar tão visível que eu era homossexual quando estivesse de homem, a idade chegando, eu com meus 39 anos agora, não me sentia mais tão atraente, isso tudo junto acabou me deixando mais insegura quanto ao meu poder de sedução e me fez ter uma necessidade quase que sufocante de provar a mim mesmo que eu ainda sou capaz de ser feminina, de seduzir um homem, passei a me apresentar em fotos com o cabelo curto, mostrando mais a bunda do que o rosto, já que cabelo é uma parte importante no formato do rosto e não sentia mais meu rosto tão feminino, mas as pessoas perguntavam o por que eu estava sumida das festas, das publicações, do próprio blog, mas apesar dos elogios, não achei aquilo o suficiente para provar que ainda sou atraente, já que hoje em dia a gente vê cada jaburu na internet, recebendo elogios do tipo,” nossa, como você é maravilhosa, meu sonho de consumo e coisas do tipo”, então não da pra confiar muito no padrão dos elogios, senti que tinha que agradar a mim mesmo, confiar no meu próprio padrão, até que decidi que estava na hora de prova que ainda era capaz.
Coincidentemente recebi uma proposta de ajudar na organização de uma festa, duas amigas trans queriam fazer uma em sua casa, elas tinham local, mas não tinham nome, queriam fazer uma festa cheia , lotada, mas o objetivo real delas era ganhar dinheiro, claro que já fiz festa voltada pro lucro, as festas que fiz na Sauna de Botafogo e do Catete foram assim, mesmo por que o dono da sauna me cobrou uma  fortuna de aluguel e ainda tive que pagar e contratar em pregados, então não tinha como não visar a parte financeira, mas as festas em apartamento, por ter um gasto bem menor, também tem um comprometimento menor, fica bem mais fácil de você fazer a festa voltada pra diversão e apesar de saber que elas queriam lucro, fiz a festa da forma que já estou acostumada a fazer, me senti bem na festa, pode ser dizer que bombou, foram uns 15 homens para cinco trans, pelo menos na teoria, na prática o que rolou foi que os homens só queriam a mim e a Lorrany, as duas da casa não queriam fazer sexo mesmo, fizeram de tudo pra não participar efetivamente da brincadeira, então pra elas isso foi vantagem, a outra amiga que ficou meia aborrecida por não fazer tanto sucesso na festa, mas teve seus momentos de prazer também, não saiu de lá sem isso, nos duas tivemos uma sobre carga, 15 homens em cima de duas a noite toda, teve uns que gozaram umas 3 vezes, pareciam maquinas de fazer sexo, não paravam nunca, era o tempo todo a gente chupando e dando, e ia chegando cada vez mais ao longo da noite, chegavam fresquinhos, cheios de vontade, e tome pica rsrsrs, eu tive que praticamente brigar pra conseguir sair do quarto e tomar um banho, já estava fedendo a suor, toda descabelada e os homens não largavam o rabo da gente, claro que a situação em si foi ótima pra minha auto estima, me senti a tal, a poderosa, mas no final da festa eu e Lorrany já não estávamos mais aguentando, e por incrível que pareça, as 6 da manhã ainda chegou o ultimo, querendo dar uma gozada antes de ir pro trabalho, numa festa que começou as 16 horas da tarde, quem deu pra ele foi eu, como ele disse que só queria  gozar pra ir trabalhar leve, pensei “ apesar de estar com o cu todo dolorido de tanta pica, da pra levar numa boa”, que nada, como a maioria, era mais um pirocudo, pica bem grossa, quando chupei sentir sua pica crescendo cada vez mais na minha boca, me colocou de quatro e foi empurrando, senti aquela pica me rasgar, mas na verdade eu adoro dar o cu depois que o sangue esfria, fica um dolorido gostoso, pelo menos no começo, até você se acostumar de novo, mas ele gostou tanto do que viu que não queria gozar, ficou brincando com meu cu, enfiava bem lentamente, depois acelerava, tirava, chupava meu cu, metia de novo, dava tapas na minha bunda, me chamava de gostosa, me falava o quanto desejava fazer aquilo comigo a tempos e nessa brincadeira pra lá de gostosa, ficamos cerca de uma hora com ele cravado em mim, mas os objetivos foram alcançados, elas tivera o lucro que queriam e eu a putaria que estava precisando tanto, gostaram tanto , que resolveram fazer a segunda festa, queriam mais lucro, estava passando um faze apertada e com dificuldade de pagar as contas, então me chamaram novamente e disseram que dessa vez queriam que eu abrisse as portas para todos, apesar de não gostar de fazer festa de pequeno porte dessa maneira, acatei a vontade delas e abri a festa a todos, homens, mulheres e trans, geralmente eu seleciono quem vai na festa, se eu não conheço a pessoa, procuro conversar pelo Skype ou de alguma forma pra saber o tipo de pessoa que é e se enquadra no tipo de festa que estou promovendo, pra não causar um mal estar entre os participantes, mas dessa vez não foi assim e como não poderia ser diferente a festa não deu certo, o objetivo principal foi alcançado, o lucro, mas a diversão ficou em segundo plano, na verdade ficou restrita, uma festa lotada, para o espaço que era, 20 pessoas era muito coisa, mulheres, casais, homens, travestis, todos interagindo no mesmo ambiente, parece um sonho, uma fantasia sexual a querer ser realizada por qualquer mortal, mas na pratica rolou desconfiança por parte das trans, que não se sentiram desejadas pelos homens, por parte das mulheres que foram doidas pra ver os homens comendo as travestis e quem sabe no meio do calor do sexo poder entrar na brincadeira sem ter a desaprovação das trans, dos homens que ficaram de olho nas mulheres e com medo de passar a fama de comedor de viado, então não chegaram perto das trans por medo de se expor, as mulheres não chegaram perto dos homens com medo de atrapalhar a futura brincadeira deles com as trans, que elas queriam tanto ver e as trans se sentindo desprezadas foram embora curtir a noite em outro lugar, pra não dizer que não teve sexo, um dos casais que foram na festa, chamou uma das meninas “mulher” pro quarto, e fizeram uma brincadeira a três,  o quarto encheu de punheteiros, admirando a sena, mas o marido era esquisito, um negão mal encarado, ninguém se atreveu a tentar entrar na brincadeira, eu ainda dei pra dois que tinham participado da festa anterior e estavam mais desinibidos, mas teve um outro que sempre ia nas minhas festas, já tinha me comido várias vezes e nessa ele nem chegou perto de mim, depois da festa ficou me cantando pra sair sozinha com ele, óbvio que não vai rolar e disse bem claro pra ele, “ você teve uma noite inteira pra me comer e nem chegou perto de mim, parecia que nem me conhecia, então sinto muito bb, sua oportunidade passou, se não aproveitou o problema é todo seu”, sou educada, sorridente, mas sei ser áspera quando preciso, não se enganem com minha aparência srsrsr, novamente me senti desvalorizada quanto a parte feminina apesar de ter ficado com dois na festa e ser a única trans que conseguiu tranzar naquela festa, mesmo assim me senti desvalorizada e tomei uma decisão, precisava mudar, precisava sentir o gostinho da sedução novamente, mandei fazer um TIC TAC pra mim, pra quem não sabe, um TIC TAC é um cabelo que você coloca e tira a hora que quer, sem precisar de implantista, ao contrário do implante que leva horas pra fazer e você tem que usar o tempo todo e da peruca que pega a cabeça toda, o TIC TAC, é como se fosse um aplique, que da impressão que seu cabelo esta maior, ou seja ele alonga seu cabelo, mandei fazer um vestido prata bem sexy, comprei maquiagem nova, descolori os pelos, fiz tudo que tinha direito.
Nesse meio tempo eu fui na casa de um amigo em Nilópolis, tinha até levado meu tablete pra faze um vídeo com ele, mas infelizmente não vi que estava descarregado e não deu nem pra tirar fotos, mas ele me recebeu super bem, morava sozinho, era um coroa bem apanhado, corpo sarado, piroca grossa, já tinha saído com ela antes, na verdade ele foi uns dos dois que me comeu na festa onde quase ninguém tranzou, senti que ele me testava pois logo que entrei em sua sala tinha varias peças de ouro, cordão, pulseira, anel, relógio, dinheiro, era a primeira vez que ia em sua casa, não é muito normal as pessoas deixarem ciosas de valor assim ao alcance de uma mente sem escrúpulos, mas isso eu tenho de sobra e não me preocupei com a situação, ele me mostrou sua casa, um quarto onde ele tem seu matéria de malhação, uma mine academia, legal a beça a casa dele, limpinha, bem organizada, voltamos pra sala e logo ele me agarrou e começou a me beijar, detalhe é que eu estava de homem, ele disse que de mulher sou muito mais bonita, mas que de homem também dava um caldo, eu apertei sua pica por sobre a bermuda, e segurei forte, dava pra sentir o quanto estava dura e pulsava, logo ele botou pra fora e me abaixei e comecei a chupar, ele me levantou e tirando minha camisa, começou a chupar meus seios, eu sem graça por que estou tomando hormônios, meus seios estão cheios de leite e tem homem que não curte, mas ele não estava nem ai, sugou meus seio assim mesmo, depois arriando minhas calças, começou a esfregar a pica dura na minha bunda, sempre elogiando meu corpo, foi empurrando lentamente a pica no meu rabo, ali mesmo a seco, lógico que seco não entrou, só a cabecinha, ele então ainda agarrado em mim, me conduziu até seu quarto, me jogou de quatro na cama e começou a lamber meu rabo, depois veio subindo pelas minhas costas, me beijando, mordendo e lambendo toda, senti quando sua pica encostou na entrada do meu cusinho, ao mesmo tempo que ele mordia meu cangote, deu um arrepio no corpo todo, fiquei totalmente a mercê dele naquele momento, então ele foi empurrando a pica, que dessa vez entrou até o talo, senti seu saco encostar na minha virilha, ele fazia um movimento gostoso, meu cu estava todo arregaçado com aquela piroca grossa dentro dele, ele foi jogando o peso e me forçando a deitar, ele era grande , forte e pesado, eu mordia o travesseiro de tesão sentindo aquele homem entrar e sair de dentro de mim, o tempo todo ele me beijava ,me mordia, me elogiava e me socava cada vez mais forte, até que em urros de prazer ele me abraçou forte e pude sentir sua pica pulsando dentro de mim, que gozo gostoso, ele gozava escandalosa e deliciosamente, ele ainda ficou em cima de mim esperando as forças voltarem, depois nos recompomos , ele foi tomar um banho e eu me arrumei novamente, conversamos um pouco e ele me contou que tinha uma fantasia que fiquei interessada em realizar, disse que era PM e que queria me comer comigo usando a farda dele, falei que topava claro, aquilo me deixou com tesão, me perguntou sobre as festas, por que eu tinha parado, tinha coisa de quase três meses que e tinha feito a ultima festa, então respondi que estava sem local pra fazer, ele então me propôs de fazer a uma festa ali na casa dele, festa pequena é claro, apesar da casa dele ter dois quartos, era pequena e não caberia muita gente, então tive um ideia de uma festa que a muito tempo pensava em fazer mas sempre que tentava organizar, algo saia errado, uma festa fechada apenas para convidados, com pessoas que eu já conhecia realmente, que gostavam e topariam fazer um BUKAKE, BUKAKE é uma situação no sexo em que a fêmea em questão tranza com todos e no final leva um banho de porra de todos, uma variação do GANG BANG, eu já sabia que ele curtia pelo o que tinha acontecido a poucos minutos na sua casa, então topou, deixando tudo ao meu encargo, oferecendo é claro o local, eu queria uma festa sem frescura, com pessoas que eu confio, queria sair dessa festa toda melada de porra, em todo o corpo, todos os buracos, com o tesão da conversa ele, se animou e começou a tocar uma punheta ali na minha frente, me olhando com uma cara de tarado, eu me aproximei dele e comecei a chupar novamente, ele não aguentando mais de tesão, me pegou pelos cabelos e me arrastou pro quarto como se eu fosse uma mulher das cavernas, me jogou na cama me imobilizando, já veio cravando com força, entrou fácil devido ao leitinho que ele já tinha jogado antes, mesma posição anterior, ele por cima de mim, eu empinava a bunda pra ele socar mais fundo, só que dessa vez ele estava mais violento, me puxava pelos cabelos e segurava meus braços, me fazendo entortar toda e socava forte, com vontade, me chamava de puta, me agarrou pelo pescoço e começou apertar, apesar de saber do perigo que essa técnica de sexo representa, eu estava gostando e me rendia a ele bem submissa, sentia a asfixia, a pressão arterial aumentar e aquilo aumentava ainda mais meu tesão, até que novamente ele urrando alto deu a segunda gozada, estávamos os dois suados novamente, dessa vez eu nem tirei a roupa, ele só abaixou minhas calças e socou, foi uma sensação meio que animal, selvagem, foi muito bom, eu disse pra ele que iria organizar tudo e entraria em contato, combinamos o dia e hora direitinho e a quantidade de pessoas que iriam na festa, ele me perguntou se queria tomar um banho, mas respondi que queria levar o leitinho dele pra casa, ele então me deu um beijo gostoso e disse, vai minha puta.

Festa em andamento, comecei a fazer meus contatos, explicando o tipo de festas que era, pra não ter duvidas do que iria rolar e separei uma lista com 15 homens e três trans, eu e mais duas, apesar que daria conta dos 15 ,mas os homens gostam de variedade nas festas, então só chamei quem se enquadrava na proposta, estava tudo certo, faltava uma semana pra festa acontecer e não conseguia entrar em contato com meu amigo dono do local, depois de muito insistir, consegui finalmente falar com ele por telefone, mas ele me respondeu que estava ocupado, que depois me retornaria, estou esperando até hoje o retorno dele, fazer o que né, então pensei em desmarcar a festa, mas conversando com minha amiga, uma das que iam na festa, ela me sugeriu chamar o pessoal da festa pra ir pra Boate Casa Grande em Bangu, eu gostei da ideia e botei em prática, alguns disseram que não poderiam ir devido a distancia, Nilópolis era mais fácil para todos, mas outros confirmaram que iriam assim mesmo, eu já com tudo pronto pro meu novo visual que tanto preparei pra tal festa, marquei com minha amiga e fomos juntas pro Casa Grande, chegamos cedo, no banheiro tinha apenas duas CROSS se arrumando, eu que também cheguei de homem, fui me arrumar e logo cedo já chegou um querendo fuder, eu tive que expulsar ele do banheiro pra conseguir me arrumar em paz, na boate tinha uns 10 caras, um espaço grande, parecia que estava totalmente vazia daquela forma, ficamos então conversando, bebendo alguma coisa, fumando, mas sempre vinha um me cantar, como eu não topava eles falavam que eu era tímida rsrsr, até sou, pelo menos até começar a putaria rsrsrs, aos pouco a boate foi enchendo, as pessoas chegando meio tímidas, na verdade só lotou lá pelas 01 da madruga, que é o horário que eu costumava chegar lá quando frequentava, já tinha mais de ano que não aparecia por lá, estava chamando atenção com meu vestido prata, tanto dos homens, quanto da bichas, que me olhavam com uma cara de quem viu e não gostou, mas eu não estava nem ai, queria era me sentir desejada, estava adorando sentir a inveja nos olhos dela, eu estou com quase 40 anos, e a maioria delas são novinhas, entre 18 a 30 anos, mesmo assim me olhavam com inveja e isso fazia me sentir bonita, poderosa, eu levei pouco dinheiro e me dei mal por causa disso, a boate é um ambiente escuro e hostil, com gente de tudo quanto é nível, não queria ser roubada e perder meu dinheiro, já que ia ficar na putaria, isso poderia acontecer, então levei só o suficiente pra pagar o taxi, a entrada e minha consumação na boate, mas o taxi foi mais caro do que eu pensava e a boate também estava mais caro, acabei ficando dura com apenas 7 reais no bolso, o suficiente pra voltar pra casa, tinha um negão alto e feio me perturbando desde que eu cheguei na boate, onde eu ia ele ia atrás, num determinado momento estava eu e minha amiga conversando e ele chegou, me ofereceu algo pra beber, eu recusei, mas minha amiga me olhou com uma cara feia rsrsrs, eu então falei pra ele, “tá bom, me tras uma cerveja”, apesar de não gostar de beber, mas ela adora, então peguei dois copos, botei meio copo pra mim, só pra dizer que bebi mesmo e dei a latinha pra ela, mas depois fiquei com pena dele, não gosto de usar as pessoas, resolvi recompensar ele, chamei ele pra dar uma namorada, peguei ele pelas mãos e levei pra um local escuro que tem atrás do palco, onde as trans e os bofes fazem pegação, quase que grupal ali, já ao entrar com ele os homens que estavam lá começaram a me alisar, a me segurar, ele ficava incomodado com isso, já eu estava adorando tudo, ele tirava a mão dos caras de cima de mim,” oh irmão, da um tempo, a mina tá comigo”, me levou pra um cantinho lá no fundo, bem escuro e começou a me beijar, colocou a pica pra fora, eu tocava um punheta nele esperando ela ficar dura, mas ele estava mais preocupado com os caras tentando me agarrar, não conseguia ter ereção, eu até baixei e chupei ele ali no meio dos homens, alguns puxavam minha cabeça tentando fazer eu chupar a deles também, mas o negão sempre fazia o corta luz, impedindo qualquer chance de alguém conseguir me ter ali naquele momento, aquilo começou a me cansar, aquela pica mole não me dava o menor tesão, alguns homens aproveitavam a penumbra do local e pegavam minha mão, me fazendo segurar sua pica, tinha uns 10 caras em volta de mim, parecia que eu era uma estrela de filme pornô, mas apesar de estar gostando de ter tantos homens me desejando ao mesmo tempo, estava entediada, já que o negão que estava comigo não me comia e nem deixava ninguém fazer, a piroca dele não ficava dura hora nenhuma, já estava quase desistindo e saindo, quando umas das mãos que me tocava pegou a minha e levou até seu pau, estava mole e parecia pequeno, mas conforme eu punhetava, seu pau foi crescendo e ficando enorme e grosso, era uma pica colossal, claro que na hora já fiquei com vontade de dar pra ele, mas o negão me travava, acabei largando aquela pica maravilhosa por alguns instantes e quando segurei novamente ela estava toda melada, ele tinha acabado de gozar alisando minha bunda, aquilo foi a gota d’água, falei pro negão, “vamos sair daqui”, levei ele novamente pro salão da boate e fui bem claro, “ bb, vai dar uma voltinha, me deixa a vontade um pouco, só me procura quando você estiver com tesão de verdade tá, tem várias bichas aqui na boate, vai se divertir com uma delas, depois você me procura”, ele ficou sem graça e saiu, eu fui dar um tempo do barulho, fui lá fora, fumei um cigarro, conversei um pouco com algumas travestis, algumas até que me conhecia da internet, mas que eu não fazia a menor ideia de quem eram, teve uma CROSS bem novinha, aparentava ter no máximo 20 anos, muito bonita de rosto e de corpo, veio falar comigo, perguntou se eu era Sandra Backer e disse que eu era mais bonita ainda pessoalmente, aquilo me fez um bem que ela não imaginava o quanto, depois de relaxar dei uma subida pro segundo andar, na escadaria também rola pegação, ali na boate é tudo permitido em relação a sexo, claro que no salão não tem logica de ninguém fuder ali com todo mundo dançando em volta, mas confesso que já dei ali também, bem no sapatinho rsrsrs, passei pela escadaria e os homens começaram a me agarrar, me puxar, a passar a mão na minha bunda, me chamando de gostosa, pedindo pra mim ficar, alguns vieram atrás de mim, no segundo andar tem um ambiente mais rilex, bom pra namorar, com cadeiras, uma penumbra básica, uns pufes , uma teve grande com cine prive, um bar pra você não precisar descer e um banheiro onde rola a pegação mais pesada, eu sentei por ali, mas toda hora vinha um querendo puxar assunto, namorar, teve uns que chegavam a implorar, “ que isso gata, fica comigo pelo amor de deus, fiquei louco contigo, caso e tudo”, “já sou casada bb, não estou procurando relacionamento”, mesmo assim eles insistiam, “ cadê seu marido, ele deixa você vir pra cá assim sozinha, tá querendo te perder”, eu sorria e dizia,” perde não bb, só vim aqui me divertir e mais nada”, ai vinha outro, mesma história, alguns até interessante, faziam meu tipo, mas pela experiência que tenho, namoro ali não da certo, sempre acaba em confusão, os outros homens não sabem respeitar os limites e quem esta comigo sempre se aborrece com eles, já provoquei, sem querer é claro, duas brigas ali e não queria a terceira, mesmo por que , depois que sai dali, vai cada um pro seu canto e só nos encontramos quando apareço na boate novamente, então não vale a pena, cansada das cantadas baratas resolvi voltar pra bagunça, entrei ali naquele banheirinho mesmo e logo de cara já me agarraram, os que estavam me cantando vieram em peso pra dentro do banheirinho, as bichas nem entenderam nada, me empurraram lá pro fundo , é um banheiro com dois ambiente, tem uma segunda sala, me jogaram ali dentro, impedindo a passagem,  e começaram a me agarrar, eu não estava gostando nem um pouco pra dizer a verdade né, muito tempo longe dessa vida, estava curtindo tudo, até as cantada chatas, brinquei gostoso ali dentro, era quase uma briga pra me comer, um empurrando o outro, enquanto um me comia, os outros puxavam minha cabeça querendo um boquete, outros pegavam na minha pica, outros me faziam pegar na deles, claro que assim que deu escolhi o mais gostoso no meio daquela bagunça e comecei a dar pra ele, os outros eu só chupava, perdi a conta de quantas picas eu chupei, quando ele gozou eu aproveitei e forcei a saída, apesar deles tentarem me impedir, mas sai de lá toda desconjuntada, fui pra parte de baixo, me arrumar no banheiro, dei mais um tempo e voltei pra bagunça, estava afim de aprontar, na parte de baixo, atrás do palco, é o lugar mais escuro da boate, uma vez lá dentro você fica as cegas, então a maioria dos homens ficam na entrada esperando a bicha passar, assim eles sabem se vale a pena ou não, claro que quando entrei veio uma leva comigo, dessa vez fui bem lá pro fundo, pra parte mais escura, tudo ali funciona no tato, acho que fiquei uma hora ali mais ou menos só fudendo, o frio que estava afazendo ali se tornou um calo estonteante, eu parecia uma marionete nas mãos deles, me viravam pra cá, me viravam lá, me puxavam pra baixo pra que eu os chupasse, outros me puxavam pra cima pra mamar meus seios, tinha um que não me largava, ficava o tempo todo chupando minha pica, eu dando e ele me chupando, o cara gozava, saia e vinha outro e metia, mas ele estava lá com a boca atolada na minha rola, até que novamente eu peguei naquela pica descomunal, que me deu tesão logo no inicio, mas que não consegui ter, novamente estava ele lá me rondando e se masturbando me alisando, dessa vez eu fiz força pra ter ele, os outros me seguravam, esperavam a vez de conseguir me comer, mas força eu também tenho e sei usar quando preciso, consegui chegar bem perto dele, ele era bem alto, mais que os que estavam ali,, segurei forte sua pica e ele me empurrou pra baixo, eu cai de boca naquela piroca, era enorme, mau cabia na minha boca, inclinei só o corpo pra poder chupar ele deixando minha bunda a mercê de quem quisesse, logo já tinha uma cravado em mim, mas quando me levantei e virei a bunda pra ele me comer, ele não quis, preferia ficar tocando punheta, então me irritei e resolvi sair dali, foi quando apareceu um e me disse ao pé do ao ouvido, “vamos sair daqui, vamos pro meu carro, eu pago seu programa”, eu dura com 7 reais na bolsa e irritada por não conseguir o que queria, topei e saímos, mas quando chegou lá fora ele começou a dizer ”poxa você é linda, merecia coisa melhor, do que ficar com um monte de caras que nem sabe quem são”, eu respondi, “você me chamou pra fazer um programa, vamos?”, mas ele só queria me beijar e ficar falando que aquilo não estava certo, “meu amigo, você me tirou de lá de dentro pra ficar me dando lição de moral, você não estava lá dentro também, não estava fazendo a mesma coisa? Então não me venha querer me dizer o que fazer, eu vim aqui pra me divertir igual a você, agora se quiser fazer o programa a gente vai, se não vou voltar pra minha putaria”, ele ficou me enrolando e deixei ele falando sozinho, mas fiquei ali mesmo pelo salão, fumando, observando, então o tal da pica grande veio até mim, “ oi, tudo bem, posso conversar contigo?”, ”fiquei louco por você, você é muito gostosa, te quero”, eu perguntei,” pra quê? Pra bater outra punheta?”, “que isso gata, assim você tá querendo me esculachar”, “ te esculachar não, você teve sua oportunidade duas vezes e só fez isso”, “ pô, mas ali não, ali os caras quando vem que eu tenho a pica muito grande ficam querendo me chupar, ficam tentando pegar, ai eu peco o tesão, eu sou garoto de programa, pego homem, mas gosto mesmo de pegar é travesti, queria pegar você no quartinho”, lá na boate alugava quartos pra quem quer um reservado, longe da bagunça, mas tinha parado, eu nem sabia que eles estavam alugando novamente,” eu quero fazer o seguinte, vou ali comprar um pó, te levo pro quartinho, a gente faz um sexo gostoso, da uma cheirada e eu ainda te dou um dinheiro”, “ ok bb, vai lá comprar seu pó, a gente vai pro quartinho, mas eu não uso, só quero o dinheiro ok”, tudo bem mas eu quero cheirar em cima do seus peitos, você deixa?”, me pagando bb, você pode cheirar onde você quiser”, então ele saiu pra comprar o tal pó, como demorou eu voltei pra bagunça, lá no banheirinho de cima, fiquei bastante tempo lá, como sempre cercada de homens tarados, doidos pra me comer, lá eu encontrei dois dos que tinham marcado de ir na minha festinha, nossa eram dois negões enormes, pareciam irmãos, os dois tipo uma parede de musculos, nesse momento ninguém mais chegou perto, eles me cercaram e me dominaram, do jeito que eu gosto, enquanto eu chupava um o outro me comia, depois eles mesmo me viram e invertiam, o outro me comia e eu chupava o outro, ficamos umas meia hora assim, até que um deles gozou e saiu, eu ainda dei mais um pouco pro que ficou mas estava muito quente e resolvi sair também, tinha visto o tal do programa lá no meio da bagunça mas ele não conseguiu chegar perto de mim, então assim que eu sai ele veio atrás e me cercou, “ pô me traiu né, eu esperando você e você dando de graças pros caras”,”bb, você demorou eu vim aqui pra me divertir e é isso que estou fazendo, mas e ai vamos ou não vamos?”, nisso o negão que estava me comendo no banheirinho, passou pela gente e segurou a minha mão, então o pirocudo propôs pra ele, ”tá afim de comer essa gata junto comigo no quartinho? A gente divide o valor do quarto e ficamos com ela a sós”, “pô, demorou, vamos lá então”, eles racharam o valor do quarto e fomos pra lá, tinha na base de uns 5 quarto somente pra alugar, mas todos estavam ocupados, achei um absurdo eles alugarem os quartos sem ter um vago, mas fazer o que né, eu estava ali somente pelo dinheiro, não precisava daqueles quartos pra fuder, ficamos esperando, mas o negão doido pra me comer novamente queria me levar pra um banheiro privativo que tinha lá dentro, mas eu não queria, mesmo por que queria receber primeiro, só que o tal que ia me pagar estava me enrolando, eu cobrando e ele e ele me respondia ” calma, eu vou te pagar, pô, você estava fudendo com geral ali de graça, eu com maior pirocão e tu vai querer me cobrar, está me esculachando mesmo”, “ te esculachando não, eu estava ali a disposição de todos, inclusive de você, não me comeu por que não quis, já que quer particular, então tem que pagar, não foi o combinado? Combinado é combinado”, “você é garoto de programa, sabe muito bem que a gente recebe antes e não depois de fuder, se não me pagar eu vou voltar pra minha putaria”, ele ainda tentou argumentar, tirou o dinheiro  de dentro da meia pra mostrar que tinha, mas colocou de volta, o quarto desocupou, mas quando ele viu que eu só ia entrar depois que ele me pagasse, ai finalmente ele pagou, o outro sussurrou no meu ouvido,” que vacilão”, dentro do quarto o negão logo ficou pelado e eu fui chupar sua pica, enquanto ele foi tirar seu pó da meia do sapato e dar sua cheirada pra começar a brincadeira, quando ele terminou eu fui chupar ele, enquanto o negão passou a me comer gostoso, eu de quatro na cama, chupando um e dando pro outro, ouvia eles dizendo, “olha que bunda essa filha da puta tem, meus deus que visão maravilhosa”, “essa piranha estava lá dando pra todo mundo cara, que desperdício uma gostosa dessa nas mãos daqueles caras”, mal sabia ele que aquele negão ali era um dos que estavam me comendo lá em cima, mas ele não parava de falar isso, cheirava e comentava que eu estava dando pra geral de graça , mas pra ele que era o melhor de lá, eu estava cobrando, “ morri numa grana por causa dessa filha da puta, mas tudo bem, ela sabe que é gostosa, mas é sacanagem isso”, aquilo foi estressando, a mim e ao negão, ainda por cima ele não ficava de pau duro, quanto mais ele cheirava, mais o pau dele ficava mole, eu já estava cansado de chupar aquela pica mole, o negão depois de meter bastante em mim, gozou a primeira vez na minha boca, eu engoli toda sua porra, ele continuou  de pau duro, começou a meter novamente e eu voltei a chupar o dotadão broxa, quando o gozo veio novamente ele me puxou de novo e deu mais uma gozada na minha boca, novamente eu engoli toda sua porra, ele começou a se vesti e eu também, o outro que já tinha cheirado em cima da minha bunda, em cima dos meus seios, só faltava cheirar em cima da minha pica, pediu pra mim ficar mais 5 minutinho pra ele gozar também, ”tem umas meia hora que estou te chupando sem parar, seu pau nem deu sinal de vida e quanto mais você cheira menos chance tem dele ficar duro, eu não vou perder minha noite toda aqui contigo tentando fazer você ter ereção não bb, você preferiu a droga do que o prazer de um bom sexo, já teve o que queria, vou em bora”,” não, fica só mais 5 minutos, ou pelos menos deixa eu dar mais uma cheirada em cima dos seus peitos”, “ ok, uma cheirada e acabou”, o outro saiu, eu terminei de me vestir, ele colocou o pó no meu peito , cheirou tudo lambeu chupou, se masturbava tentando encontrar tesão, mas eu assim que ele limpou todo meu peito sai e deixei ele sozinho, depois não vi mais ele, provavelmente foi embora, já eram coisa de umas 4:30 da madrugada, a boate fecha as 5, então só estava esperando o táxi chegar pra gente voltar pra casa, eu e minha amiga, que encontrou mais um dos caras da festa e levou ele pro quartinho, sentei e fiquei fumando e esperando a hora passar, mas no final ainda foi pior, a maioria das bichas já tinham ido em bora, os caras que não gozaram estavam doido pra dar a gozada final e começaram a me alugar, mas eu não queria fazer mais nada, estava satisfeita, nem me oferecendo dinheiro eles conseguiam me arrastar, mesmo por que só topei fazer aquele programa por que eu estava dura, minha amiga não saia do quartinho, então resolvi dar uma volta, sair do campo de visão daqueles caras que estavam me secando ali, fui pro segundo andar, mas quando passei pela escadaria que da acesso ao segundo andar, tinha uma bicha chupando um cara nos degraus da escada, era alto, forte, corpo malhado e uma piroca enorme, 25 cm, estava meio escuro, não dava pra ver quem era direito, mas deu pra perceber o tamanho da pica, mesmo por que eu ia passando quando ele tirou a pica da boca da bicha e encaixou de baixo do meu braço, estava duro feito pedra, senti aquela pica encostada em mim, cheia de veias, muito grossa, quando ela encaixou entre meu braço e lateral do meu corpo, eu olhei pra cima e ele disse, “ oi Sandra, quero falar contigo, posso?”, “ claro bb, vamos sair daqui”, ele deixou a bicha lá e veio comigo, “ vim aqui só pra te ver, já estava quase desistindo e indo embora”, então peguei ele pela mão e levei pro banheirinho, ele era enorme de grande e forte, me jogou no cantinho e ninguém se atreveu a empurrar ele, teve até uns poucos que tentaram entrar na minha frente  pra que eu chupasse eles enquanto ele me comia, mas sinceramente, aquela pica era enorme, batia lá no fundo, eu estava dolorida pela bagunça da noite e a camisinha seca ajudava a piorar a situação, precisava me concentrar pra aguentar aquilo tudo e não queria deixar passar, era a saideira da noite e ia fechar com chave de ouro, então não deixei nada me atrapalha, empinei bem a bunda, a pica dele foi entrando aos poucos, parecia me rasgar, quando entro a metade ele começou a fazer um vai e vem bem devagar, parecia ser bem experiente em comer um cu, aos poucos foi entrando, até sentir o corpo dele encostar no meu e sua pica tocar lá no fundo, quando ele começou a socar forte eu gemia de prazer, ficava toda arrepiada, fechava meus olhos e sentia aquilo tudo entrar e sair de dentro de mim, quase que eu gozei junto com ele de tão bom que estava, depois do gozo, ele foi embora, os caras tentaram me segurar no banheiro pra continuar a brincadeira, mas eu não estava mais afim, só fiquei com ele por que além dele ter ido na boate só por que eu chamei, ele era muito gostoso, quando consegui sair de lá, minha amiga estava me esperando, o táxi já estava lá, eu troquei rápido de roupa e fomos pra casa, satisfeitas, infelizmente não da pra tirar fotos fudendo e nem filmar na boate, mas foi muito boa a noite, quem sabe eu não repita rsrsr, bjs a todos e espero que tenham gostado desse conto, quando tiver uma nova história boa, ou um vídeos gostoso, prometo postar aqui.


































domingo, 22 de junho de 2014

Sensual Black

Sensual Black

video
A todos que esperavam ansiosamente uma publicação minha, aqui estou eu dando uma palhinha de um vídeo que fiz mês passado, estou recebendo muitos recados pedindo novas postagens, mas devidos a problemas pessoais, estava impossível pra eu atualizar o blog, mas separei um tempo pra postar esse vídeo e também preparar um conto novo onde vivi uma aventura muito gostosa na Boate Casa Grande em Bangu semana retrasada, enquanto meu conto não fica pronto vou deixar vocês com a visão desse vídeo, que apesar de não ser um vídeo de sexo é o mais atual que tenho e também quero faze um convite, devido a falta de homens com coragem e liberdade pra se expor, esta difícil de conseguir parceiros bons pra fazer um novo vídeo de sexo, então você que é dotado acima de 22 cm, por favor, ou pelo menos tem o pau bem grosso e gozo farto, homens bi que curta o feminino e o masculino sem frescura e queira fazer um vídeo comigo, de preferencia em dupla, pois quero um vídeo onde não só façam ativos comigo, mas entre si também, um vídeo como eu disse antes, completo e sem frescura, como podem ver aqui no meu blog, não exponho as pessoas, faço edição dos vídeos para não aparecer rostos e tatuagens quando pedem é claro, os interessados mande um recado ou me add no Skype trans_negrarj@hotmail.com, também quem estiver afim de me contratar pra um programa pode add, mas se eu não gostar do papo ou da pessoa eu deleto  e bloqueio ok, então se for me add que seja com um desses dois objetivos, se não vai perder seu tempo e desperdiçar o meu, só entro no Skype  de madrugada no horário entre 01 e 05 da manhã, raramente entro durante o dia

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Ciúmes

Ciúmes

Dessa vez quero falar de algumas situações que passei em que rolaram ciúmes, algumas engraçadas, outras nem tanto, mas todas bem interessantes.
Pra começar vamos falar do ciúme mais natural, logo quando comecei a minha vida como Sandra, frequentava muito a Boate Casa Grande, hoje ela esta até melhor, reformada e bonitinha, mas na época era um verdadeiro pulgueiro, mas apesar disso eu me sentia bem , um lugar onde eu era apenas mais uma, não era a travesti, ninguém ficava me encarando a menos que estivesse interessado em mim, os homens lá não tem medo de se expor, de chegar em cima de você e te cantar, por que todos os outros estão fazendo a mesma coisa, então ali é uma lugar onde posso ser 100% Sandra, por que mesmo na pista a gente não se solta 100 %, se expõe 100 %, mas isso não quer dizer que você seja você mesma, numa dessa idas a boate conheci um cara, ele era realmente lindo, corpo de modelo, olhos azuis, rostinho de bebê, pica deliciosa, era tudo de bom, me cantou e apesar de não ir pra boate pra procurar namoro e sim sexo, acabei cedendo a beleza dele, a boate em sim é um verdadeiro inferninho como minha amiga Leona descreveu, cheia de cantos escuros onde a putaria rola solto, como os caras estão acostumados na sua grande maioria a chegar e comer no lugar onde a pessoa estiver, já que a grande maioria das CDs que vão lá são os homens que dão uma fugidinha no sábado e coloca uma roupinha de mulher por que sabe que assim vão dar pra cacete naquele lugar, então o respeito também diminui, fica difícil não impossível, de você impor um limite ali, então se vc quer um lance mais intimo com alguém e não quer interferência, ou você aluga um quartinho, ou você procura um lugar bem discreto onde ninguém te veja ou simplesmente não faz nada e fica só de beijinho e abraço, o que não era o nosso caso, nem ele e nem eu queria ficar só de beijinho e abraço, tentamos ficar mais a vontade na escadaria, mas não deu certo, os caras ficavam me alisando, me puxando pra junto deles e ele ficava puto com aquilo “ po meu camarada, tira a mão porra, a mina ta comigo ”, eu achava engraçado a situação e deixava ele resolver, tentava ficar em outro canto, mas sempre tinha um pra querer me agarrar, ele tentou alugar um quartinho, a boate alugava uns quartinhos a preço de 10 reais, só tinha a cama e trinco na na porta, nem ventilador tinha e nem banheiro, mas eles informaram que não estavam mais alugando, até que fugimos para o terceiro andar da boate, nos dias de sábado fica fechado, por que ali funciona os quartinhos da terma, ali na escadaria, sem ninguém pra nos incomodar o sexo rolou gostoso, ele em baixo eu nos degraus de cima da escada, quase que de quatro, com uma das pernas levantadas e ele só socando no meu rabo, metia gostoso, tinha uma pica deliciosa, falava umas sacanagens no meu ouvido que me dava tesão, me chamava de gostosa, de puta, dizia que eu pertencia a ele agora e que só ia dar pra ele, mas o sexo acabou, bem na hora que o segurança nos viu lá em cima e nos mandou descer, ele grudou em mim a noite toda e eu achei aquilo um tédio, ia pra boate pra me divertir e diversão pra mim era dar o rabo, vias as meninas entrando e depois saindo toda desconjuntadas do Dark Room, ficava com inveja, mas fazer o que, estava sem graça de dar o fora nele, depois disso fiquei um bom tempo sem ir na boate, mas acabei voltando ao meu vicio quase três meses depois, pior que encontrei ele de novo, quando me viu grudou no pé, eu não dava conversa, mas ele vinha atrás,” po tu não lembra de mim, agente ficou um dia desses aqui, eu quero você de novo ”, ele nem lembrava meu nome , nesse dia ele estava sem camisa, mostrando a barriga tanquinho, o peito malhado, lisinho do jeito que eu gosto, as CDs ficavam, loucas mexendo com ele quando passava, até as travestis dando mole e mexendo, acabei cedendo novamente pra não perder pra elas, ficamos no segundo andar onde tem um espaço na penumbra iluminado apenas por uma TV onde rola um filme pornô, feita especialmente para os casais que querem namorar, mas mesmo ali os caras viam que ele estava metendo em mim discretamente, então chegavam junto querendo fuder também, ai ele se estressava, teve um negão que me pediu um cigarro e ficou conversando, mesmo com ele abraço comigo, morador de Costa Barros, eu ainda morava na Pavuna, éramos quase vizinhos, ele mandando  o cara procurar outra que aquela já estava acompanhada, mas ele dizia” calma ai irmão, to querendo tomar sua mina não, só achei ela maneira e to conversando sem segundas intenções ”, mas mesmo assim ele quase saiu na porrada com o negão, ai não perdi tempo, “ quer saber, vocês querem brigar, então briguem, eu to saindo fora “, e deixei os dois lá discutindo, o bonitinho ainda me cercou em alguns pontos da boate ,mas falei pra ele que tinha perdido a vontade e que não ia rolar, entrei no Dark Room e fui fazer o que queria quando fui pra boate, fuder e muito, sem compromisso, depois de fuder bastante fui pro segundo andar fumar um cigarro, esfriar o corpo que estava quente de tanto sexo, ai foi a vez do negão me abordar, “ po que cara babaca né, discutindo atoa, arrumou uma mina maneira que nem você e não sabe lidar com a situação, por que você é uma preta de responsa, os caras ficam te querendo, isso é normal aqui, nem sempre a gente tem uma preta dessa qualidade né ”, me ganhou na lábia, acabei ficando com ele, fomos pra um cantinho onde estava dando gostoso pra ele, ele dizia que queria namoro sério comigo, já que éramos vizinhos, mas não demorou muito pra um outro cara chegar em cima e ai foi tudo de novo, só que dessa vez era o negão que estava discutindo por que não queria que me tocasse, pensei ” quer saber, sirvo pra isso não, deixa eu ficar sozinho por que antes só do que má acompanhada ”, larguei o negão e voltei pra minha putaria até o dia clarear.

Num outro dia ali na boate eu entrei no Dark Room, como sempre estava lotado de homens na entrara, eles ficam ali por que dentro do Dark é muito escuro, entra tudo quanto é tipo de CD ali, das mais feias as mais jeitosinhas, a única forma de selecionar quem eles querem  pegar é essa e sempre que entro ali vem uma muvuca atrás de mim, tudo que fica na porta esperando algo de bom, nesse dia tinha um cara bonito, sem camisa, corpo gostoso, assim que entrei ele me segurou pelo braço  e me puxou de encontro ao seu corpo, “ vai la pra dentro não preta ,fica aqui comigo “, já me beijando pescoço, alisando meu corpo, com um pedido desses acabei cedendo e fiquei num love gostoso, claro que não foi só beijinho e abraço, abaixei ali mesmo e comecei a chupar a pica dele, depois levantei, ele botou meus peitinhos pra fora e começou a mamar, mas tinha um cara que não tirava a mão da minha bunda me puxando pro lado dele, me desequilibrando, ai não deu outra, começaram a discutir, por que a mina ta comigo, o outro dizia que ali ninguém era de ninguém e ele queria também, o outro dizia que queria mais não ia ter, já vinha a resposta dizendo que eu só estava com ele por que ele me agarrou , que ele era melhor, tinha carro e podia me levar pro motel, como se eu fosse sair dali com um dos dois, “ você é um merda, eu tenho carro, pago motel pra você gostosa ”, “ e dai que tu tem carro, eu to de moto, sou militar ”, “ fodasse, eu sou DJ ” e por ai foi, acabei saindo de fininho e deixei os dois discutindo, fui pro outro Dark Room e novamente me acabei nas picas que encontrei lá rsrsrs.

Na pista também rolava ciúmes, uma vez peguei um casal, não estava muito afim de fazer programa com eles, primeiro que eles não queriam ir pro motel, queriam fazer na rua, diziam que era um fetiche deles, pagaram até mais caro por isso, segundo por que meu instinto disse pra não ir, o cara era meio grosso e detesto pessoas grossas, mas a mulher com aquele jeitinho que só uma mulher sabe fazer, me convenceu, disse que ela sempre fazia as vontades dele, mas que dessa vez tinha convencido ele a fazer a dela, que era tranzar com uma travesti, ele me perguntou mais de 10 vezes se eu realmente tranzava com mulher, ” vou te pagar pra fuder com ela, nem precisa me tocar, então se não for fazer com ela fala logo que procuramos outra ”, ali na pista a única que curtia realmente mulher era eu, tinha até algumas que topavam sair com casal ,mas na hora H sempre davam um jeito de não tocar na mulher, fiquei com pena dela, por que sabia que se não fosse eu ela não conseguiria realizar a sua fantasia, então topei com uma condição, ao invés da gente parar na rua, iriamos pra um estacionamento onde eu estava acostumada a atender alguns clientes e eles toparam, chegando lá a mulher tirou completamente a roupa e eu também, ela passou pro banco de trás onde eu estava  e começamos a nos beijar, era uma mulher bonita de rosto, corpo interessante, estavam todos os dois meio alto de tanta cachaça, tinha cerveja, caipirinha,  e outras bebidas dentro do carro, logo eu passei a chupar seus seios, o cara então começou a querer coordenar foda, “ beija o pescoço dela, beija a boca, chupa a buceta ”, aquilo estava me irritando,  mas continuava fazendo o que meu tesão mandava e ela estava gostando cada vez mais, fiquei de quatro pra conseguir chupar sua buceta e ele enfiou o dedo no meu rabo dizendo que era grande, o que já estava fora do combinado, depois fui subindo, até voltar a beijar ela novamente  e passei a esfregar a pica em seu grelo que estava todo babado, o marido então como num surto resolveu sair do carro e ir até o porta malas pra pegar camisinha, eu claro que continuei seduzindo ela esperando ele voltar, ela fazia força pra minha pica entrar, rebolava bastante, quando o marido voltou, cismou que eu estava comendo ela sem camisinha, ai coisa ficou feia, ele deu um soco forte na mulher que pegou no ombro, “ porra mulher, tu ta maluca, dando pro viado sem camisinha, não sabe que essas porras são cheia de doenças, não pode ver uma pica grande que perde a linha ”, ela negando, dizendo que a gente não estava tranzando ainda, mas ele não escutava e dava mais porrada nela, eu fiquei puta com tudo aquilo e comecei a colocar minha roupa, ele abriu a porta do carro e me mandou descer, eu só olhei pra cara dele e respondi ” vou descer o cacete, você me pegou na pista e vai me levar de volta pra onde me pegou, não sou sua palhaça, não pedi pra estar aqui, foram você que fizeram questão de me pegar, ta puto fodasse, mas comigo tu vai agir como homem ”, ele então abaixou a bola, a mulher dele pegou a roupa pra se vestir, mas ele tomou da mão dela e disse, ” tu vai pelada pra casa pra aprender a me respeitar e nunca mais dar pra um viado sem camisinha, sem querer te ofender ta”,” não, você esta me ofendendo sim, mas não to nem ai pra você, me pagando e me deixando aonde me pegou, e de preferência, nunca mais me procurando, ta tudo certo, o resto é problema seu e da sua esposa ”, então ele me levou pra pista e eu sai do carro soltando fumaça  pelas ventas, mas depois achei isso até engraçado e acabou virando história aqui no meu blog, o pior é que depois de um mês mais ou menos, eles apareceram na pista e cismaram que tinham que sair comigo pra se redimir, o marido me pediu desculpa pela outra vez, disse que estava bêbado e que eu não tive culpa e queria mostrar que ele não era assim, mas dessa vez tinha um porem, só quem ia comer era ele e ia comer as duas, então topei, lá fomos nós, mesmo estacionamento, dessa vez ele foi mais ousado, saímos pra fora do carro com as portas abertas eu sentada no banco do carro ela em pé do lado de for com ele socando ela por trás enquanto ela me chupava, ela olhava pra minha cara e fazia umas caras de quem estava de saco cheio, “ já gozou amor? Então come ela um pouco ”  invertemos as posições, eu fiquei de pé dando pra ele, ela sentada de pernas abertas, enquanto eu chupava sua buceta, mas ele socava cada vez mais forte, parecia querer me mostrar que ele era o fodão, eu nem esquentava, com aquela pica pequena, por mais que ele socasse forte, nunca ia conseguir me fazer pedir arrego, mas ia me desequilibrando e aos poucos eu fui caindo por cima dela que aproveitou a situação e deitou abrindo as pernas pra mim encaixar, segurava meu pau levando em direção a sua buceta e dizia baixinho no meu ouvido, “ bota em mim vai, bota só um pouquinho que ele nem vai perceber ”, “ você ta louca quer levar outra surra ” e não meti, depois disso nunca mais vi aquele casal .

Outra situação na pista foi de uma vez em que uma travesti negra, linda pareceu por lá, a Chica, tinha um corpo muito bonito, bunda grande, seios também, chamava atenção, e pra mim era competição, eu estava reinando ali na pista como a preta preferida, tinha a Andreia que era uma negona muito alta e bonita, chamava muito atenção, mas sempre dava uma pausa da pista durante o ano pra poder trabalhar no barracão da escola de samba dela, quando voltou e me pegou lá, tentou competir comigo, mas não deu pra ela, uma vez ela me disse “ é perdi mesmo meu reinado, antigamente quando eles queriam uma preta só dava eu, agora tem você a mais algumas outras, ta difícil de competir ”, mas com a chagada da Chica, o meu reinado que estava abalado, mas eu sempre na minha, conhecia meus predicativos e sabia meu potencial, apenas deixei rolar, um belo dia estava eu e ela conversando , ao mesmo tempo que estávamos nos exibindo na pista a procura de um cliente, quando passou dois pretos, com aparência de seus 25 anos, chamaram ela pra conversar, eu continuei parada onde estava, mas ela me chamou, disse que eles queriam sair com a gente, cada um com uma, claro que topei, mesmo por que íamos ficar em quarto separados, o mais bonitnho já agarrou a Chica pela cintura,” essa é minha em, você fica com a outra ”, me chamando de feia na cara de pau, o outro concordou e seguimos pro motel, na portaria eles pagaram os quartos,  o que ficaria comigo pegou a chave primeiro e deu na mão dela, mas o amigo brigou dizendo que ele tinha que dar a chave na minha mão, por que aquela já era dele, a Chica foi subindo na frente e o que ia ficar comigo  subiu logo atrás, o outro pegou ele pela camisa, deu um puxão, quase jogou ele no chão, “ porra cara, já te avisei que essa é minha, fica com a tua ai ”, eu calada estava, calada continuei, pegamos um quarto do lado do outro, meu negão foi tomar uma banho e eu fiquei escutando a Chica cobrar o programa adiantado no outro quarto, o cara não tinha dinheiro o suficiente pra pagar o programa dela, já o meu me pagou assim que entramos no quarto sem precisar eu pedir, foi pro chuveiro e me chamou pra tomar banho com ele, começamos a brincar de baixo do chuveiro mesmo, ele era uma delicia, uma pica enorme e dura, me beijava o corpo todo sem pudor, me encostou na perde de costas pra ele e começou a me comer assim, mas o amigo começou a bater na porta da gente desesperado,” abre ai cara, preciso de dinheiro, amina não ta querendo me dar ” e espancava a porta, eu me sequei e deitei na cama de bunda bunda pro alto ,peladinha, ele olhou pra mim e disse” caralho nêga, que bunda é essa, meu deus, hoje vou me acabar nesse rabo ”, abriu a porta e o amigo entro,” po cara me da mais dinheiro ai, a mina disse que só vai me dar depois que eu pagar ", ele meteu a mão no bolso da calça , tirou uns trocados e deu pro outro, “ isso é tudo que eu tenho, se vira lá, o resto já paguei a minha ”, ele voltou pro quarto dela e agente voltou a fuder, ele veio por cima de mim, me beijou a nuca e foi beijando até chegar na minha bunda, depois enfiou acara no meio dela e sentia sua língua acariciando meu cusinho, sempre me elogiando, dizendo que eu era linda, muito gostosa, foi subindo novamente me beijando toda até a nuca e senti sua pica encostando na minha bunda, parecia saber o caminha por que foi sozinha em direção ao meu cu que já estava todo molhadinho do banho de língua que ganhei, ao poucos ele foi entrando, cada vez mais fundo, me comia com uma vontade que me dava um tesão louco, que preto gostoso na cama, podia não ser tão bonito quanto o outro, mas duvido que perdia pra ele na cama, logo o amigo voltou a bater na porta,” abre ai cara, deixa eu entrar ”, “ Caralho cara, to fudendo, me deixa em paz vai cuidar da sua preta que to cuidando da minha ”, “ porra a mulher foi embora e me deixou na pista, abre ai ”, de tanto insistir ele resolveu parar de me comer e abriu, o amigo entrou e explicou que ela achou que o dinheiro era pouco e se mandou, olhou pra minha bunda deitada na cama e disse,” caralho, que bunda é essa, porra vo ficar é por aqui mesmo “, na mesma hora eu me levantei e peguei minhas roupas, “ a mim você só vai comer se pagar querido ”,” mas eu já paguei sua amiga e nem comi, vou ficar aqui sim ”, “ pode ficar, mas vai ficar os dois, por que eu to caindo fora ”, o que estava comigo na mesma hora retrucou, “ não, que isso preta, me deixa aqui assim não ”, “ então bota seu amigo pra fora, ou ele ou eu, você escolhe ”, “  sinto muito irmão mas se vira, vai atrás dela, por que eu não vou perder essa preta por sua causa não ”, isso já empurrando ele pra fora, fechou a porta e pulou na cama , voltamos a fuder gostoso, ele era bom ,me comeu em tudo quanto é posição, até de cabeça pra baixo, me dominou completamente com seus carinhos e sua pegada forte, mas infelizmente o porteiro tocou o fim do termino do nosso tempo, eu achei estranho, não parecia que tinha passado uma hora, ou então estava tão bom que não vimos o tempo passar, mas como ele já tinha gozado e estava na segunda foda, então paramos, quando chegamos na portaria o amigo estava lá esperando, ele que pediu pro porteiro tocar, “ porra tu é um vacilão né, atrapalhou minha foda três vezes, porra a preta maneira pra caramba e com uma bunda maravilhosa e tu nem me deixou aproveitar direito ”, o migo respondeu, “ claro, eu não comi ninguém, fiquei na mão, por que você vai ficar se divertindo ” achei engraçado os dois, quando voltei pra pista encontrei a Chica puta da vida por que não tinha ganhado o dinheiro, fazer o que né, achou que tinha se dado bem, mas quem curtiu aquilo tudo que aconteceu foi eu.

Nas festas também rolava caso de ciúmes, uma vez chamamos um casal amigo nosso, eles por sua vez, chamaram um casal de amigo deles, nossas festas eram fechadas, só ia quem a gente convidava, mas como eles apareceram lá com o casal, não íamos barrar ninguém, o casal era tímido, ficaram na sala conversando e bebendo o tempo todo, enquanto a putaria mesmo rolava no quarto, minha esposa convidava eles pra irem lá brincar também, mas eles diziam que eram tímidos, mas depois de um papo descobrimos que era uma questão de ciúmes, a mulher não brincava por que o marido não deixa, e ele não brincava pra não abrir guarda pra ela brincar também, então Kelly convenceu ele a ir pro quarto com ela, a mulher deixou por que queria se divertir e se ele fosse ia abrir a guarda pra ela ir também, então depois de muito insistir ele foi, quando ele e kelly entraram no quarto, eu estava acabando de sair, estava fudendo com um cara, mas estava muito calor, depois do gozo fui tomar um banho pra me recompor, tomei meu banho e voltei pro quarto pra me arrumar passar um óleo cheiroso no corpo, kelly estava ajoelhada chupando a pica dele e Fabiano estava fotografando a sena, quando comecei a passar óleo no corpo, ele ficou olhando pra minha bunda, Fabiano percebendo a situação, praticamente me obrigou a entrar na brincadeira, Kelly disse que foi só eu encostar a mão nele que a pica dele ficou dura com pedra, e ela estava se matando pra  botar aquela pica de pé, percebendo o tesão que ele estava em mim, ela foi saindo aos poucos e deixando eu tomar conta da situação, mamei sua pica um pouco , depois me levante, apoiando as mãos na parede e oferecendo a bunda pra ele comer, o que ele fez sem  hesitar, segurava minha pica e me masturbava enquanto me comia, demostrando que também queria experimentar minha outra parte, a sorte dele foi que ele largou minha pica, por que assim que a Kelly saiu do quarto a mulher dele foi até lá pra ver com quem ele estava, quando ela viu que era comigo, entro no quarto feito bicho, agarrou ele pelo pescoço, quase levantou ele do chão,” seu viado, você disse pra mim que não gostava de travesti, agora eu te pego aqui grudado no rabo dela ”, a Kelly ouvindo isso ficou puta, eu sai do quarto e Kelly entrou, deu um esporro nela, dizendo que o viado que ela estava ofendendo  era o marido dela, e que ainda por cima ela estava faltando com o respeito ao Fabiano que era o dono da casa, fazendo um barraco lá, que roupa suja se lava em casa, Kelly fez ela pedir desculpa pra mim e pro Fabiano, ela explicou que antes deles irem a festa, ela conversou com ele, perguntou se ele curtia travesti e se tinha a possibilidade dele tranzar comigo lá, ele respondeu que não, que não sentia o menor tesão em travesti, ela confessou que tinha vontade de tranzar comigo, mas como ele não curtia ela ia ficar na dela e respeitar, mas quando viu ele comigo, ficou puta e acabou perdendo a linha, depois os ânimos esfriaram e a festa voltou ao ritmo normal, o casal entrou na brincadeira, ela me agarrou, estava todo mundo fudendo ao mesmo tempo no quarto, a luz apagada, tudo escuro, só dava pra ver alguma coisa quando alguém tirava alguma foto, ele não tirava o olho dela comigo, eu não me senti a vontade e acabei me afastando, deixando ela brincar com os outros caras que estavam lá, depois fiquei de sacanagem, os dois fudendo , eu estava perto e passava a pica nele, no escuro ela não via, mas sempre alguém tirava uma foto e ai ela mais que imediatamente olhava pra mim , pra ver se eu estava fazendo alguma coisa com o marido dela rsrsrs, mas eu estava só me divertindo, por que não sou santa rsrsrs.


Ciúme é um sentimento estranho, vem como ondas, cada vez mais forte, dói de uma forma que a gente não sabe de onde vem, mas doe assim mesmo, é uma mistura de agonia, com ansiedade, frustração  com impotência, é algo realmente doloroso, mas é um sentimento comum a todos, eu sinto ciúme da minha esposa, apesar de gostar de ver ela com outros homens e mulheres, mas as vezes acontece, por causa de um olhar, um gesto, uma palavra, um pequeno detalhe pode ativar esse sentimento estranho, claro que tenho um ciúme de certa forma controlado, afinal de contas tenho que escolher entre viver com o ciúme ou minhas fantasias sexuais, minha esposa sente ciúme de outras mulheres, mas as vezes de alguns homens também, dependendo da situação em que rola o sexo, por isso eu não saio sozinha com outra mulher e evito também os casais, por causa do ciúme da minha esposa e do próprio casal entre si, no mundo do swing o ciúme é a principal causa de fim de relacionamento e brigas, se você quer ingressar nesse mundo, saiba que vai sentir ciúmes sim e terá que aprender a controlar esse sentimento ou escolher entre fantasia e realidade, bjs a todos e segue umas fotos minhas atuais, já que ando meia sumida da net, pelo menos vocês tem com saber como estou atualmente, espero que gostem das fotos novas, pois estou de cuequinha rsrsrs.